Há uma lista infindável de perguntas a se responder quando se pensa sobre a escolha profissional e, entre elas, estão “por onde começar?” e “o que faz um profissional formado no curso que escolhi?”. Para responder a estas e outras perguntas, em setembro, nossos alunos do e 2º ano do Ensino Médio participaram da ação de Orientação Profissional, realizada pelo Serviço de Orientação Educacional e Psicológica (SOEP). Além de promover o Encontro de Profissões 2019, o SOEP reservou um momento para conversar com os jovens sobre o futuro profissional deles.

A escolha da profissão é um momento que envolve inúmeras dúvidas e indecisões para o adolescente, que já está passando por um processo de várias transformações físicas e psicológicas. Por compreender que esta escolha implica não só em um conhecimento das áreas profissionais, mas também se trata de um processo de autoconhecimento, o Colégio GGE vem realizando ações continuadas que visam contribuir com a escolha profissional do nosso aluno.

O objetivo foi oferecer aos alunos informações que contribuíram para o amadurecimento de ideias, ajudando-os a desenvolver competências com vista a uma tomada de decisão consciente e informada.

Confira a seguir as fotos dos alunos do 1º e 2º ano do Ensino Médio na ação de Orientação Profissional:

Encontros com profissionais ajudam estudantes a definir carreiras futuras

Entre os meios acertados para buscar respostas estão as conversas próximas com profissionais atuantes cujas experiências podem ser um balizador importante. Essa é a ideia por traz do Encontro de Profissões GGEprojeto pedagógico voltado para as turmas do Fundamental 2 e Ensino Médio, que traz para as unidades GGE profissionais convidados para participar de um momento de “sabatina”, no qual os alunos buscam tirar suas dúvidas sobre o mercado de trabalho.

A remuneração é uma das principais dúvidas e os psicólogos, embora defendam que a realização profissional não está unicamente atrelada ao dinheiro, concordam que salários convidativos são uma das razões que fazem com que o elo pessoa e ofício seja duradouro. Outra dúvida comum dos estudantes é se determinada profissão abre possibilidades para trabalho no exterior, já que muitos querem fazer carreira fora do país.

“Quando trazemos profissionais para a escola, para conversar sobre seus cotidianos, o salário médio é uma das primeiras perguntas. Muitas vezes, eles perguntam até para o professor”, brinca a psicóloga da unidade GGE Paissandu, Emanuela Freire. “É uma maneira de sondar: ‘deixa eu ver se vou ser professor’”. Emanuela lembra que questionar sobre remuneração está relacionado à busca por independência.

Gostou? Então, confira a seguir a íntegra do 1º bloco de palestras do Encontro de Profissões 2019:

Escolhas de hoje

Embora o foco das escolhas ainda esteja nas profissões mais tradicionais, Emanuela explica que é preciso que a orientação vocacional lembre aos jovens que o mercado de trabalho é altamente volátil e traz sempre novas possibilidades, mesmo para profissões mais antigas. “Trouxemos, por exemplo, um profissional de Ciências Aeronáuticas para as rodas de conversas. Ele chamou atenção, assim como o psicólogo, para o que tem a ver com a preocupação desses jovens com a saúde mental. Eles vão ao auge com a profissão de cientista político, talvez pelo atual cenário do país. Eles gostam muito, perguntam demais”, completa.

Quando convida especialistas de cada área para essa conversa, o GGE sugere que haja equilíbrio entre o sonho profissional e a realidade, para que os alunos percebam que haverá sempre os dois lados: o encantamento e o sacrifício. “Um médico veio, falou que o retorno financeiro é muito bom, mas que é preciso entender que, para isso, se sacrificam muitos momentos com a família. É um outro lado, que não é tão encantador e precisa ser entendido quando a gente vai fazer uma escolha profissional”.

Fonte: Blog Enem NE10

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.