Como ajudar seu filho a ser produtivo no modelo de ensino híbrido

Organizar o tempo, identificar as deficiências e buscar soluções são maneiras que alunos de utilizam para atingir a alta produtividade nos estudos. No modelo híbrido de ensino, com alternância de aulas presenciais e remotas, a disciplina para cumprir essas atividades é ainda mais importante. Isso porque cada momento de ensino precisa ser aproveitado de maneira adequada. É necessário, por exemplo, um planejamento que inclua o tempo de deslocamento nos dias presenciais e os intervalos de descanso para os dias remotos.

De acordo com o gestor pedagógico do Colégio GGE, Tayguara Velozo, nesta retomada das aulas presenciais, o aluno deve também aproveitar para trabalhar a socialização. “É o momento de convivência. O ser humano precisa desse relacionamento com outras pessoas. Então, no momento presencial, a prioridade precisa ser a convivência com os colegas, o carinho dos professores, externar os sentimentos e receber novos estímulos visuais e auditivos”, comenta.

O gestor explica ainda que esse retorno à convivência traz também novos parâmetros para o aluno já que ele poderá observar quem estudou mais, quem está com mais dificuldade, onde estão as maiores dificuldades dos amigos, entre outros pontos. “Estes parâmetros são uma mola propulsora para que ele avance. Então, uma grande dica para quem está vindo para o presencial é que aproveite os momentos de convivência para interagir, compartilhar experiências e traçar novas rotinas”, diz.

Acolher o aluno de volta à escola, com novas regras, muito carinho e leveza, são os desafios impostos pelo novo normal escolar.

As psicólogas estão tendo ação fundamental para acolhê-los e fazer o momento de escuta. As aulas presenciais por si só já são um grande atrativo porque depois de sete meses no formato online, este é um retorno com muitos protocolos que precisam ser seguidos. Então, é preciso ter ainda mais afinidade entre alunos e toda a comunidade escolar”, ressalta o gestor pedagógico do GGE Paissandu, Glaumo de Sá Leitão.

Segundo o gestor do Ensino Médio do GGE Boa Viagem, José Veiga de Lira Neto, no ensino híbrido outro grande desafio é aliar todos os estudos e processos pedagógicos às normas e protocolos de distanciamento da Covid-19. “Os professores estão sendo orientados para que não haja distinção para quem assiste às aulas remotamente e presencialmente. Então, o desafio é aliar todos os estudos e processos pedagógicos às normas e protocolos por conta da necessidade do distanciamento”, diz.

Independentemente do formato das aulas, o aluno precisa ter organização e disciplina. É importante que os horários de estudo sejam distribuídos de acordo com a nova rotina, sem perder o ritmo e a programação definida. Em linhas gerais, o que se deve ter em mente é que o plano precisa ser o mesmo do ensino presencial, porém, é preciso considerar dias com um tempo de deslocamento e outros sem esse deslocamento.

O aluno que estuda pela manhã, por exemplo, deve pensar quais serão as atividades do turno da tarde e do turno da noite, considerando horário de estudo, de sono e o momento de descanso. É crucial que ele consiga identificar quais serão esses horários, porque se isso fica solto ele acaba se perdendo e quebrando a rotina, o que pode ser desestimulante. Então, é interessante que o aluno tenha um planejamento estruturado de horários para estudo e descanso, assim ele consegue seguir a programação de atividades que ele previu, seja em casa ou na escola”, orienta a psicóloga do Ensino Médio do GGE Boa Viagem, Thaís Oliveira.

Além disso, neste momento de ensino híbrido, a presença da família é de extrema importância para acompanhar o desenvolvimento dos estudantes, o cumprimento dos planos de estudo e o cuidado com o emocional do jovem. “Muitos alunos ficam inquietos e preocupados, considerando o que estudar e como estudar. E a família pode ajudar no sentido de avaliar se o método está condizente com a realidade ou não. Mas, a ideia é que o aluno identifique os assuntos que tem mais dificuldade e pense nos assuntos que deve revisar durante o dia. O lado emocional também precisa ser acompanhado de perto, pois, este ainda é um momento de inseguranças e questionamentos”, pontua.

Para ajudar pais e alunos nesse período de adaptação ao modelo híbrido de ensino, preparamos cinco dicas para organizar a rotina de estudo:

  • 1 – Faça um planejamento

    Como o modelo híbrido de ensino intercala momentos de aulas remotas e presenciais, é importante contemplar as características dos dois momentos de ensino no planejamento. O estudante deve prever também momentos de descanso e de atividades de lazer. Isso inclui pequenas pausas entre o estudo das matérias. Esses intervalos de 10 a 15 minutos trarão um pequeno descanso ao cérebro, aumentando a capacidade de compreensão e o foco nos estudos.

  • 2 – Identifique seu horário mais produtivo

    Você pode começar estudando em vários horários para identificar em qual você rende mais, com concentração e energia. O mais importante é criar uma rotina de estudos dentro dos horários considerados mais produtivos para você. Uma ou duas horas diárias dedicadas ao estudo trarão bons resultados. Ou seja, é preciso estabelecer as rotinas bem definidas, separando as atividades acadêmicas das atividades pessoais.

  • 3 – Tenha um tempo de lazer e alimentação balanceada

    Crie uma rotina que inclua também o tempo de lazer e descanso. Isso não significa apenas momentos para sair de casa, mas, pausas que possam trazer alguma reflexão e cuidados com a mente. Vale ler um livro, ouvir uma música, tocar um instrumento… O que for da preferência do aluno e que o ajude a relaxar. Exercícios físicos também devem ser contemplados neste planejamento. Uma caminhada ou algum esporte irá melhorar a oxigenação no seu cérebro e, consequentemente, o seu desempenho nos estudos. Além disso, a saúde do corpo precisa estar bem para ter mais disposição para estudar e aprender cada vez mais. Evitar alimentos gordurosos e grandes refeições, não pular refeições e ter uma dieta balanceada contribuirá para o equilíbrio do corpo e da mente.

  • 4 – Prepare-se antes das aulas

    Independente do modelo de ensino que está sendo adotado pela escola, dar uma olhada no assunto antes da aula faz com que as dúvidas fiquem mais claras e possam ser melhor esclarecidas com o professor. Uma forte aliada neste sentido é a Flipped Classroom, ou aula invertida, oferecida no material didático do Sistema GGE de Ensino. A ferramenta disponibiliza no início de cada novo capítulo um vídeo de curta duração (5 a 15 minutos), em que o autor apresenta os conceitos fundamentais do conteúdo a ser estudado. A proposta é que o conteúdo seja assistido no dia anterior ao início do capítulo, fora do período de aula. Assim, o tempo em sala é otimizado e dedicado a aplicar os conceitos apresentados no vídeo para solucionar problemas, responder a dúvidas, realizar discussões, revisar pontos-chave e até mesmo organizar dinâmicas em grupos para reforço do conceito apresentado no vídeo. Participar das aulas é muito importante para que haja um melhor aproveitamento do conteúdo.

  • 5 – Encontre a sua estratégia de estudo

    As pessoas aprendem de formas diferentes através de estratégias diferentes. Sendo assim, quanto mais o aluno entender quais as estratégias que favorecem seu processo de aquisição dos conhecimentos, maior e mais eficaz será seu aprendizado. Além disso, ter um plano de estudos é importantíssimo para que o aluno consiga manter uma rotina direcionada. O material deve conter as matérias que precisam ser estudados, revisadas e as atividades que precisam ser feitas. Esse plano precisa ser construído de acordo com as aptidões e dificuldades que o aluno possua e já dividindo o tempo entre aulas presenciais e remotas.

Elaboramos um e-book para auxiliar você a construir um plano de estudo elaborado de acordo com suas necessidades. É só baixar aqui!

Notícias Relacionadas

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.