O que os alunos aprendem no Ensino Fundamental 1 do Colégio GGE

A importância da construção de bases

Um momento de construção. Assim pode ser classificado o Ensino Fundamental (Anos Iniciais) ou Ensino Fundamental 1 (1º ao 5º ano). É um período focado no desenvolvimento intelectual e social do aluno, buscando formar as bases do pensamento ainda por meio de atividades lúdicas e brincadeiras, mas, com novas ferramentas preparando o estudante para um segundo momento da vida escolar. Neste caso, a proposta é auxiliar a criança a moldar sua compreensão e interpretação de si mesma e do mundo. Além disso, é um período de preparação para novas fases de estudos, onde será necessário uma base sólida da linguagem, da escrita, dos cálculos e o estabelecimento de uma rotina escolar.

As crianças entram no Fundamental 1 aos 6 anos. O avanço é o passo natural após a conclusão da Educação Infantil e representa mudanças significativas na vida escolar. A partir daí, o trabalho dos professores visa à adaptação dos alunos à rotina e às demandas escolares mais complexas, assim como à construção de novas competências, que serão úteis na vida escolar. Assim, no Fundamental 1, além das disciplinas regulares, alguns dos alicerces são o trabalho da autonomia, autoconhecimento e autorregulação dos alunos. São abordagens realizadas de forma sistemáticas indo desde intervenções nos momentos sociais, o estabelecimento das regras – os chamados combinados de sala -, a exigência com o cuidado com o material até a responsabilização pelo estudo para avaliação.

São aspectos que devem ser trabalhados com essa faixa etária inicialmente com oferecimento de repertório, ou seja, deixando claro qual a expectativa para aquela criança. Em seguida com a mentoria, fazendo junto, construindo com o aluno o que deve ser feito para, em seguida, iniciar o processo de monitoramento, que é a fase mais evoluída dessa autonomia, quando a criança já foi ensinada, já vivenciou e agora está exposta a uma situação que pode resolver sozinha, com os conhecimentos que adquiriu nesse processo”, explica a gestora da Educação Infantil e Ensino Fundamental 1 do GGE Boa Viagem, Nayana de Paiva.

Segundo ela, esse é um processo longo e que precisa, de fato, de reforço diário até que seja conquistado, por isso, é muito importante que o aluno vivencie essas etapas também em casa. “Isso com atividades simples da rotina para que a criança entenda que esses valores são importantes em todos os espaços nos quais ela está inserida”, orienta.

De acordo com a gestora pedagógica do Colégio GGE, Anabelle Veloso, o Ensino Fundamental 1 pode ser dividido em dois momentos. O primeiro deles, do 1º ao 3º ano, a escola está fazendo o desmame da brincadeira, mas, entendendo que são crianças oriundas da Educação Infantil e que precisam do brincar. Já no 4º e 5º anos, que são fases onde os alunos já se preparam para o Fundamental 2, é um momento que exige que os conteúdos sejam reforçados.

É preciso consolidar a aprendizagem porque não são mais crianças que pedem o lúdico do infantil e, sim, crianças que estão amadurecendo e se preparando para outro momento da vida escolar. Por isso, entender os dois grupos dentro do Fundamental 1 faz a diferença no entendimento desse segmento de ensino”, ressalta.

Na transição do Infantil para o Fundamental 1, uma das preocupações é de que o prazer por estar na escola não fique para trás diante das novas obrigações. Enquanto essa nova rotina é estabelecida, a criança também vai ganhando novas habilidades e responsabilidades. Entre as habilidades a serem desenvolvidas e estimuladas durante o Fundamental 1 está a autonomia. Nesse período, a criança precisa aprender, por exemplo, a estudar sozinha, pois, o estudo precisa ter continuidade fora do ambiente escolar. “Se a criança continua dependente da família, chega um momento no Fundamental 2 que a família passa a não dar mais conta de estudar junto, pela rotina, pelas demandas, pelo trabalho… Se a criança não adquire essa autonomia ela vai se distanciar, perder o interesse e começar a ter resultados negativos. Então, autonomia é muito importante”, enfatiza Anabelle Veloso.

Os anos iniciais do Fundamental 1 também são importantes na construção de bases na área de linguagem e matemática. No primeiro caso, os focos estão na oralidade, na leitura e na escrita. Já no universo dos números, é preciso focar nas operações básicas e na compreensão ou aplicação das orientações básicas em problemas de matemática.

Se as crianças têm assimiladas essas habilidades ao longo dessa etapa, não existirão dificuldades nos demais conteúdos, nas demais aprendizagens no decorrer do ciclo do ensino Fundamental 2, porque o currículo da educação básica é em espiral. Então, os conteúdos de história, geografia, ciências, eles reaparecem, eles voltam. Voltam de outra maneira, com novos assuntos e aprofundamento, mas, aquilo que é visto no 2º e 3º ano do Fundamental é revisto em algum momento do Fundamental 2. Por isso, se a criança tem oralidade, leitura, compreensão e interpretação bem desenvolvidos, ela vai conseguir assimilar qualquer conteúdo”, explica Anabelle Veloso.

Com os estímulos direcionados e um acompanhamento sistemático, os alunos do Ensino Fundamental 1 do Colégio GGE terão segurança e desenvolverão mais facilmente as habilidades necessárias para o início da nova etapa escolar, que, mesmo que com um novo foco, também virá recheada de descobertas, estímulos e aprendizagens.

0 respostas

Deixe uma Resposta

Deseja deixar seu comentário?
Comente e participe! Sua opinião é muito importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.